Home / Estudos Diversos / Os perigos do “puxa-saquismo”.

Os perigos do “puxa-saquismo”.

E, observando-o, mandaram espias, que se fingissem justos, para o apanharem nalguma palavra, e o entregarem à jurisdição e poder do presidente. Lucas 20:20.

        

A palavra “puxa-saco” é tão vulgar como o ato em si, portanto, troquemos por um sinônimo menos feio; vamos chamar esse feio hábito de “Adulação” e o ator da ação de adulador. Meu desejo é de conseguir melhorar tanto o adjetivo quanto as ações de um adulador contumaz.

Tenho uma grande admiração pelas pessoas sinceras e ando com o pé atrás com aduladores, mais conhecidos vulgarmente como “puxa-sacos”. Pensando a respeito desse assunto e após exame da Bíblia Sagrada, posso fazer um questionamento importante a luz das escrituras, uma vez que existem aduladores em todo lugar. O que questiono é: existem grandes perigos em se acreditar na adulação?

A adulação é uma tentativa de enganar. Jesus converteu a tentativa de seus inimigos de lhe armarem uma cilada em uma poderosa lição. Como seguidores de Cristo, temos obrigação legítima tanto para com Deus como para o governo, mas é importante termos prioridades corretas. Quando as duas autoridades entram em conflito, o nosso dever para com Deus sempre deve ter prioridade sobre o dever para com o governo.

Esses espias, fingindo serem homens honestos, adularam Jesus, antes de lhe fazerem suas perguntas capciosas, esperando encontra-lo desprevenido. Mas Jesus sabia o que eles estavam tentando fazer e não caiu na armadilha deles. Cuidado com a adulação. Com a ajuda do Espírito Santo, você pode detectar a adulação e evitar a armadilha que se segue.

A adulação distorce a verdade. Tentando persuadir as pessoas, podemos nos sentir tentados a alterar nossa posição, apenas o suficiente para tornar nossa mensagem mais palatável ou usar de adulações e elogios. Jesus nunca modificou a sua mensagem para torna-la mais aceitável, mas adaptou, sim, seus métodos para cada público. Embora a nossa apresentação deve ser alterada para ser apropriada a situação, a verdade do Evangelho nunca deve ser comprometida.

A adulação esconde seus verdadeiros motivos. É desagradável ouvir uma pessoa que adula outra. A adulação é artificial e um disfarce para as verdadeiras intenções da pessoa que adula. Os cristãos não devem ser aduladores. Os que proclamam a verdade de Deus têm uma responsabilidade especial – ser honestos. Você é honesto e franco em suas palavras e ações? Ou você diz as pessoas o que elas desejam ouvir, para conseguir o que você quer ou para ser bem-sucedido?

A adulação destrói a integridade. Quando Paulo estava com os tessalonicenses, não os adulou, não tomou o seu dinheiro, não buscou os seus elogios e não foi um peso para eles. Paulo e Silas dedicaram completamente seus esforços à apresentação da mensagem da salvação. Isto era importante! Os crentes tessalonicenses tiveram suas vidas transformadas por Deus, não por Paulo; foi na mensagem de Cristo, e não na de Paulo que eles creram.

Quando damos o nosso testemunho a favor de Cristo, o nosso foco não deve estar na impressão que causamos. Como fieis ministros de Cristo, devemos apontar para Ele, e não para nós mesmos.

João Wagner Ferreira é Escritor, Teólogo e Palestrante.

Autor dos livros:

“Socorro! Minha família está em perigo” e

“Socorro! Meus estudos estão em perigo”.

 

Contato: (34) 9 8885-0868 – Whats App

E-mail: chavedosaber63@gmail.com

 

About João Wagner

João Wagner Ferreira é Ministro do Evangelho; Co-Pastor Evangelista na Congregação Betel da Assembleia de Deus em Uberlândia/MG (Ministério Missão aos Povos). Curso Superior em Tecnologia de Segurança Pública pela Academia de Polícia de Minas Gerais (APM/MG) é 1º Ten PM (QOR). Graduado em Teologia pelo Instituto Missão aos Povos, filiado à Faculdade Evangélica de Ciência, Tecnologia e Biotecnologia (IMP/FAECAD). É professor na Escola Dominical na Assembleia de Deus há 25 anos; dedicou sua vida a obra de Deus e a família.

Check Also

Um caráter desejável

Share This in WhatsAppSede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *