Home / Estudos Diversos / Livro: Pai Rico Pai Pobre X Bíblia Sagrada

Livro: Pai Rico Pai Pobre X Bíblia Sagrada

Por: João Wagner Ferreira

Sou Teólogo e amo estudar a Bíblia Sagrada, bem como assuntos que possam edificar a vida cristã. Mas confesso que gosto de boas leituras fora do âmbito teológico. A sabedoria e o aprendizado estão em todo lugar, mesmo em livros que diretamente não trazem assuntos teológicos, podemos retirar grandes ensinamentos aos quais poderemos submetê-los a luz do evangelho agregando grandes aprendizados a serem aplicados em nossa vida cotidiana.

Recentemente li o livro: Pai Rico Pai Pobre de Robert Kiyosaki que achei fantástico e por sinal é um Best Seller. Meu propósito com este artigo é apresentar de forma rápida e resumida o ensinamento extraído do livro de Kiyosaki e logo em seguida, da mesma forma trazer um comentário Bíblico também de forma rápida e resumida sobre o assunto “Dinheiro, riqueza e prosperidade”.

O autor desse livro teve a sorte de ter duas pessoas que ele poderia chamar de pai; um era seu verdadeiro pai, um típico trabalhador de classe média que se formou na faculdade e trabalha para o governo. Um trabalho instável e bom, mas que é chamado de pai pobre, porque passou dificuldades financeiras depois de se aposentar. O outro era pai de seu melhor amigo, um pai fora do padrão que não chegou nem ao ensino médio e que era um empreendedor, já tinha alguns negócios e que futuramente chegaria a ser uma das pessoas mais ricas do Havaí.

Kiyosaki recebia instrução desses dois pais e diz que muito da riqueza que possui hoje é devido a instrução que recebeu, principalmente a vinda de seu pai rico. Eu não tive esse pai rico e se você não nasceu entre a minoria mais rica desse país é bem provável que também não. Então o que podemos aprender com Kiyosaki? Por sorte ele resolveu escrever um livro e para mim foi um dos mais importantes que li e é sobre esses ensinamentos que iremos comentar.

Precisamos colocar em nossas mentes que existem formas de ganhar dinheiro e formas para perder: Você coloca dinheiro em seu bolso por conta de seu trabalho, em forma de salário que é a primeira fonte de renda ou tem o aluguel de uma casa, juros de poupança ou alguma outra forma de investimento, no livro é chamado de ATIVO e que acaba gerando mais renda para você, fazendo você ganhar dinheiro sem sair do lugar. Imagine uma pessoa deitada em sua rede sem fazer nada e ganhando dinheiro! Pois de alguma forma, investiu o dinheiro dela e isso faz gerar mais renda. Você gostaria de ser uma pessoa assim?

Em contrapartida, você fica sem dinheiro no bolso quando possui muitas despesas: gastos com alimentação, saúde ou festas. Também existem os PASSIVOS, quando você possui algo que tira seu dinheiro todos os meses, por exemplo quando você tem um carro e tem gastos com impostos, combustível e manutenção. Se possui um celular, gasta dinheiro com plano. Isso gera ainda mais despesas. Esses são conceitos simples, mas diferenciar um do outro (Ativos e Passivos) é o primeiro passo para diferenciar os ricos dos pobres. O ativo coloca dinheiro em seu bolso enquanto o passivo tira dinheiro de seu bolso.

Você precisa saber que o dinheiro apenas acentua o padrão de fluxo de caixa que está em sua mente. Se seu padrão for gastar tudo que ganha, o que é o caso da grande maioria da população, o mais provável e o que eu sempre vejo acontecendo é que o dinheiro disponível apenas resulte em aumento de despesas. Se a pessoa ganha mil, gasta mil, se ganha cinco mil, gasta cinco mil, e por aí vai.

O que falta na educação não é saber como ganhar mais dinheiro, mas sim, como gastá-lo. O que fazer depois de o tê-lo ganho. A classe baixa só tem despesas e os ricos cultivam os ativos e a classe média compram passivos pensando ser ativos. Um dos conselhos que mais ouvi em minha vida, foi esse: “Junte dinheiro e compre uma casa ou compre várias casas de aluguel e depois pare de trabalhar”. Mas espere um pouco, se eu comprasse uma casa? Ela seria um ativo ou um passivo? Depende, uma casa gera manutenções e alguns impostos. Ela só se torna um ativo se o que você ganha com aluguel e sua valorização ultrapassar os valores de passivo. Então, antes de sair dando esse conselho ou tomando essa atitude, coloque isso na balança e veja se essa casa pode ser considerada um bom investimento.

Lendo esse livro, você pode se perguntar: Como ficar rico? Para ficar rico, ou você nasce muito rico ou você precisa aprender formas de ganhar mais do que gasta, ou seja: ou você precisa ganhar mais no trabalho ou aumentar sua renda com aquisição de ativos. Então vejamos um exemplo simplório:

Imagine que em uma situação hipotética você trabalhe em uma fazenda arando a terra e ganhe R$ 5,00 por hora. Você acorda de manhã e trabalha 8 horas por dia e ganha R$ 40,00 reais e volta para casa feliz. Um dia você percebe que está ganhando muito pouco e decide trabalhar 12 horas e fica feliz quando seu patrão lhe dá os R$ 60,00. Mas mesmo assim, você ainda precisa mais. Então você trabalha 16 horas por dia para poder ganhar R$ 80,00. Chega um momento que seu corpo não aguenta ou você não tem mais tempo. O tempo é um recurso limitado; o tempo dura bastante para aqueles que sabem aproveitá-lo.

Mas o que fazer para ganhar mais dinheiro? Você pensa um pouco e tem uma ideia: você conversa com seu patrão e diz que não quer mais ganhar por hora trabalhada e sim por terreno arado. Ele concorda e então você chama seu amigo que está desempregado para trabalhar com você. Você oferece um salário menor que o seu, o que faz com que você receba R$ 1,00 por cada hora que seu amigo trabalhe. Assim, se você trabalhar 8 horas, você chega no final do dia com seus R$ 40,00, mas agora recebe mais R$ 8,00 através do seu amigo. Se ao invés de ter chamado apenas um, tivesse chamado cinco amigos, você teria recebido mais R$ 40,00; ou seja, com o mesmo tempo gasto você duplicou seu pagamento. Agora você consegue fazer mais em menos tempo.

Esse exemplo é simples demais e na vida real pode não ser tão simples assim, mas o que quero mostrar é que você pode querer trabalhar muito para ter um salário altíssimo, mas se não for um dos astros dos esportes ou uma estrela de cinema, dificilmente irá ficar rico assim. O que se precisa fazer é pensar como pensam os ricos. E como os ricos pensam? Ricos se esforçam cada vez mais para aumentar a coluna de ativos: eles usam dinheiro para abrir negócios, investir, comprar imóveis e por aí vai. Com tempo, eles ajuntam uma grande quantia de renda gerada sem nenhum esforço adicional e é nesse momento que começam a usar o dinheiro para comprar os melhores carros, as melhores motos e outros luxos. Enquanto isso, os outros fazem o caminho inverso. Se importam primeiro ou somente com os passivos, ou seja: querem ter os melhores celulares, os melhores carros e pagam fortunas em suas casas; deixando os ativos todos de lado, passando a serem reféns dos seus trabalhos.

A prioridade dos ricos são os ativos, dos outros são o passivo. A grande novidade é que você não deve trabalhar pelo dinheiro, mas em aprender a fazer o dinheiro a trabalhar para você. Não estou querendo dizer que seja fácil, mas não se deixe enganar: se fosse fácil, todos seriamos ricos. Gastar dinheiro é muito mais fácil do que investir e esse é o motivo de existir tão poucos ricos. O que quero mostrar é que existe um mundo melhor do que aquele que passa na TV ou no cinema onde pessoas somente são felizes se se matarem no trabalho durante horas e mais horas para gastar seu tempo livre fazendo compras e se endividando mais ainda, virando escravos do consumismo. Muitas pessoas vão para as escolas e quando se graduam, nunca mais estudam; mas fazer o dinheiro trabalhar para você, esse é um estudo para toda a vida.

Agora que trouxe um comentário a respeito daquilo que aprendi do livro: “Pai Rico Pai Pobre” quero falar um pouco sobre o que a Bíblia diz sobre dinheiro, riqueza e prosperidade. A visão cristã da riqueza deve ser derivada das Escrituras. Muitas vezes no Antigo Testamento Deus deu riquezas ao Seu povo. A Salomão foi prometida riquezas e tornou-se o mais rico de todos os reis da terra (1 Reis 3:11-13; 2 Crônicas 9:22); Davi disse em 1 Crônicas 29:12: “Riquezas e glória vêm de ti, tu dominas sobre tudo, na tua mão há força e poder; contigo está o engrandecer e a tudo dar força. Os judeus eram um povo escolhido com promessas e recompensas terrenas. Eles receberam uma terra e todas as riquezas nela contidas.

No Novo Testamento, há um padrão diferente. A igreja nunca foi dada uma terra ou a promessa de riquezas. Efésios 1:3 nos diz: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo.” Cristo falou em Mateus 13:22 sobre a semente da Palavra de Deus caindo entre os espinhos e “a fascinação das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera.” Esta é a primeira referência às riquezas terrenas no Novo Testamento. Claramente, essa não é uma imagem positiva.

Precisamos entender a verdadeira definição de prosperidade. De modo simples, prosperidade é termos as condições materiais de satisfazer todas as nossas necessidades ao longo da vida. Rico não é aquele que mais tem dinheiro, rico é aquele que não precisa de nada. A prosperidade financeira de um cristão é resultado de dois fatores que se aplicam simultaneamente: boa administração e fidelidade a Deus.

De algum tempo para cá houve uma distorção a respeito do conceito da verdadeira prosperidade, houve uma enxurrada da “Teologia da Prosperidade” onde afirmam erradamente que todo aquele que vem para a igreja ficará rico. Aí mora o perigo, a pessoa passa um grande tempo na igreja e não fica rica, então entra em conflito com a vida cristã.

Há um conceito saudável do que é prosperidade. Prosperidade é você crescer no que tem. Você pode ser uma pessoa rica, porém, não prospera. Há uma diferença entre prosperidade e riqueza com a proteção de Deus e sem a proteção de Deus. Não há interesse de prosperar em meu coração, sem a benção de Deus. Como diz o provérbio: “Melhor é um bocado seco e tranquilo do que a casa farta de carnes e contendas” (Provérbios 17:11).

Devemos entender que dinheiro não é a única riqueza. O homem do nascimento a morte, está cercado de inestimáveis riquezas cujo preço excede todo o ouro que se pudesse amontoar e a maioria das pessoas não valorizam tais riquezas. Tais riquezas estão ao alcance mesmo daqueles que se consideram desgraçados por terem bolsos vazios.

Esses bens são em número de Cinco: O tempo, a família, a natureza, os amigos e a religião.

 

Ev. João Wagner Ferreira

Palestrante e autor dos livros: “Socorro! Minha família está em perigo” e “Socorro! Meus estudos estão em perigo”.

(34) 9 8885-0868 – Oi/Whats App

Blogdafamilia.com

chavedosaber63@gmail.com

 

 

 

 

About João Wagner

João Wagner Ferreira é Ministro do Evangelho; Co-Pastor Evangelista na Congregação Betel da Assembleia de Deus em Uberlândia/MG (Ministério Missão aos Povos). Curso Superior em Tecnologia de Segurança Pública pela Academia de Polícia de Minas Gerais (APM/MG) é 1º Ten PM (QOR). Graduado em Teologia pelo Instituto Missão aos Povos, filiado à Faculdade Evangélica de Ciência, Tecnologia e Biotecnologia (IMP/FAECAD). É professor na Escola Dominical na Assembleia de Deus há 25 anos; dedicou sua vida a obra de Deus e a família.

Check Also

ENTRE TAPAS E BEIJOS

Share This in WhatsApp“Fizeram-se os deuses semelhantes aos homens e desceram até nós…” “…tendo convencido …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *